terça-feira, dezembro 29, 2015

segunda-feira, dezembro 28, 2015

quinta-feira, dezembro 24, 2015

How to shift your life and from negative thoughts - Marion Ross


Marion Ross is an international business entrepreneur and transpersonal psychologist practicing in New York and Paris, France. Both Tracy and Marion have used the techniques outlined in The 12 Keys to transform their own lives and the lives of their patients. Why exactly did a psychiatrist and an international business entrepreneur get together to write this book? We felt there was a need to create a book that would assist others who also felt stuck in their lives. During our years of training, we learned that we create powerfully every day with our thoughts and feelings. We create obstacles in our lives when we are unaware. We wanted to assist others with learning what we know. Once you understand these concepts, you will realize how extremely important it is to identify and cull out negative thoughts and transform feelings of anger, resentment, fear and anxiety that limit your ability to create joy and peace. Whenever you experience disappointment, stress, betrayal, grief, loss, or heartbreak from your life experiences, you are at risk of forming such limiting thoughts. Since you do in fact create just as powerfully with your negative thoughts and feelings as you do when you are feeling loving and peaceful, it is imperative that you are mindful of choosing to transform yourself and step onto a new life arena without your limiting dogma. It is time to step out of the box you have created over and over and paint a new canvas of your life. You learn that there are different options available to you and you can choose to remove the obstacles you have unwittingly placed in your path.

domingo, dezembro 20, 2015

O Corpo de Dor

No caso da maioria das pessoas, quase todos os pensamentos costumam ser involuntários, automáticos e repetitivos. Não são mais do que uma espécie de estática mental e não satisfazem nenhum propósito verdadeiro. Num sentido estrito, não pensamos – o pensamento acontece em nós.
“Eu penso” é uma afirmação simplesmente tão falsa quanto “eu faço a digestão” ou “eu faço meu sangue circular”. A digestão acontece, a circulação acontece, o pensamento acontece.
A voz na nossa cabeça tem vida própria. A maioria de nós está à mercê dela; as pessoas vivem possuídas pelo pensamento, pela mente. E, uma vez que a mente é condicionada pelo passado, então somos forçados a reinterpretá-lo sem parar. O termo oriental para isso é karma.
O ego não é apenas a mente não observada, a voz na cabeça que finge ser nós, mas também as emoções não observadas que constituem as reações do corpo ao que essa voz diz.
A voz na cabeça conta ao corpo uma história em que ele acredita e à qual reage. Essas reações são as emoções.
A voz do ego perturba continuamente o estado natural de bem-estar do ser. Quase todo corpo humano se encontra sob grande tensão e estresse, mas não porque esteja sendo ameaçado por algum fator externo – a ameaça vem da mente.
O que é uma emoção negativa? É aquela que é tóxica para o corpo e interfere no seu equilíbrio e funcionamento harmonioso.
Medo, ansiedade, raiva, ressentimento, tristeza, rancor ou desgosto intenso, ciúme, inveja – tudo isso perturba o fluxo da energia pelo corpo, afeta o coração, o sistema imunológico, a digestão, a produção de hormônios, e assim por diante. Até mesmo a medicina tradicional, que ainda sabe muito pouco sobre como o ego funciona, está começando a reconhecer a ligação entre os estados emocionais negativos e as doenças físicas. Uma emoção que prejudica nosso corpo também contamina as pessoas com quem temos contato e, indiretamente, por um processo de reação em cadeia, um incontável número de indivíduos com quem nunca nos encontramos. Existe um termo genérico para todas as emoções negativas: infelicidade.
Por causa da tendência humana de perpetuar emoções antigas, quase todo mundo carrega no seu campo energético um acúmulo de antigas dores emocionais, que chamamos de “corpo de dor”.
O “corpo de dor” não consegue digerir um pensamento feliz. Ele só tem capacidade para consumir os pensamentos negativos porque apenas esses são compatíveis com seu próprio campo de energia.
Não é que sejamos incapazes de deter o turbilhão de pensamentos negativos – o mais provável é que nos falte vontade de interromper seu curso. Isso acontece porque, nesse ponto, o “corpo de dor” está vivendo por nosso intermédio, fingindo ser nós. E, para ele, a dor é prazer. Ele devora ansiosamente todos os pensamentos negativos.
Nos relacionamentos íntimos, os “corpos de dor” costumam ser espertos o bastante para permanecer discretos até que as duas pessoas comecem a viver juntas e, de preferência, assinem um contrato comprometendo-se a ficar unidas pelo resto da vida.
Nós não nos casamos apenas com uma mulher ou com um homem, também nos casamos com o “corpo de dor” dessa pessoa.
Pode ser um verdadeiro choque quando – talvez não muito tempo depois de começarmos a viver sob o mesmo teto ou após a lua-de-mel – vemos que nosso parceiro ou nossa parceira está exibindo uma personalidade totalmente diferente. Sua voz se torna mais áspera ou aguda quando nos acusa, nos culpa ou grita conosco, em geral por uma questão de menor importância.
A essa altura, podemos nos perguntar se essa é a verdadeira face daquela pessoa – a que nunca tínhamos visto antes – e se cometemos um grande erro quando a escolhemos como companheiro(a). Na realidade, essa não é sua face genuína, apenas o “corpo de dor” que assumiu temporariamente o controle.
Seria difícil encontrar um parceiro ou uma parceira que não carregasse um “corpo de dor”, no entanto seria sensato escolher alguém que não tivesse um “corpo de dor” tão denso. O começo da nossa libertação do “corpo de dor” está primeiramente na compreensão de que o temos.
É nossa presença consciente que rompe a identificação com o “corpo de dor”. Quando não nos identificamos mais com ele, o “corpo de dor” torna-se incapaz de controlar nossos pensamentos e, assim, não consegue se renovar, pois deixa de se alimentar deles. Na maioria dos casos, ele não se dissipa imediatamente.
No entanto, assim que desfazemos sua ligação com nosso pensamento, ele começa a perder energia.
A energia que estava presa no “corpo de dor” muda sua freqüência vibracional e é convertida em “presença”.
— por Eckhart Tolle 


- Veja mais em: http://despertarcoletivo.com/o-corpo-de-dor/

terça-feira, dezembro 15, 2015

Os efeitos das emoções negativas em sua saúde

A conexão entre corpo e mente é muito poderosa e embora não possa ser vista, os efeitos que sua mente pode ter sobre seu corpo físico são profundos. Não há dúvidas que uma atitude mental positiva resultará em um estado físico e emocional saudável.
Pense naquele momento em que seu coração esteve acelerado com a antecipação, o medo ou aquele sentimento que faz seu estômago revirar – repare como o resultado dos pensamentos e emoções são imediatos no corpo físico.
 
Mapa mostra reações do corpo a cada emoção, cores quentes indicam aumento de atividade biológica e as cores frias representam a diminuição.
Mapa mostra reações do corpo a cada emoção, cores quentes indicam aumento de atividade biológica e as cores frias representam a diminuição.
Seus pensamentos e sentimentos estão relacionados a diferentes enfermidades, quando você fica doente, seu corpo está alertando que a sua maneira de pensar (consciente ou inconsciente) e viver está fora de sincronia com o que é benéfico para o seu próprio ser. À primeira vista pode não fazer sentido porque nós fomos educados a desvincular as emoções, a olhar para fora de nós mesmos, mas essa é a maior verdade que podemos e devemos (re)aprender.
Através da enfermidade o seu corpo está pedindo para que você encontre equilíbrio e harmonia, observando a si mesmo e o ambiente que está vivendo, é um processo de aprendizagem e crescimento. Nossas emoções e experiências são essencialmente energia e elas podem ser armazenadas na memória celular.
O gráfico abaixo foi baseado no livro Cure seu Corpo de Louise Hay, nele é demonstrado como certos padrões de pensamentos e atitudes afetam nosso corpo:
GRÁFICO DA DOR EMOCIONAL

Áreas da dor e prováveis causas:

Pescoço: Inflexibilidade, recusa em ver outros lados da questão; teimosia.
Ombros: Representa nossa habilidade em suportar experiências da vida de maneira alegre. Fazemos da vida um fardo através da atitude.
Coluna:
 Representa suportar a vida.
Superior: Falta de apoio emocional. Não se sentir amado ou reter amor.
Meio: Culpa. Sentindo-se preso ao passado. “Saia das minhas costas”.
Inferior: Medo de dinheiro. Falta de suporte financeiro.
Cotovelos:
 Representa mudança de direção e aceitação de novas experiências.
Punhos: Representa o movimento e a facilidade.
Quadril: Medo de tomar decisões maiores. Nada o faz movimentar-se.
Joelhos: Orgulho, teimosia e ego. Incapacidade de dobrar-se. Medo e inflexibilidade. Não deixar ir.
Tornozelo: Inflexibilidade e culpa. Tornozelos representam a capacidade de receber prazer.
Joanetes: Falta de alegria em viver experiências na vida.

Como funciona:
O que acontece em nosso corpo é reflexo do nosso mundo interno. É possível trazer à consciência e integrar a mente ao corpo quando se está atento à vida e presente em si mesmo. Sua mente e seu corpo estão conectados e fazem parte de um único sistema. Através de uma mente sã você gasta menos energia durante o dia e pode usar esta energia acumulada para construir a vida que ama. Encontre seu equilíbrio.

Outras ligações:

Artrite: Não se sentir amado. Crítica e ressentimento.
Fraturas: Rebelião contra autoridades.
Bursite: Raiva reprimida.
Inflamações: Medo. Pensamento negativo.
Dor na articulações: Representa mudanças na direção da vida e a facilidade desses movimentos.
Perda de peso: Pensamento disperso, não está centrado.
Dor ciática: Sendo hipócrita, medo do dinheiro ou do futuro.
Hérnica de disco: Indecisão, sentindo falta de apoio.
Torção: Não quer se mover em uma determinada direção da vida. Raiva e resistência.
Fraqueza: Necessidade de um descanso mental.

Comece a observar como você reage ao mundo, pois a sua própria perspectiva diante de uma situação tem o poder final sobre o seu corpo. Caberá a você escolher entre permanecer negativo através de pensamentos destrutivos ou ter uma atitude mental positiva e lidar diretamente com os desafios através de um estilo de vida saudável e equilibrado.

(Traduzido e adaptado por Despertar Coletivo | Via: Fractal Enlightenment)
 http://despertarcoletivo.com/os-efeitos-das-emocoes-negativas-em-sua-saude/

sábado, dezembro 12, 2015

O Significado da Palavra “Namastê”.

A Yoga é uma prática antiga, que goza de grande popularidade hoje em dia graças aos benefícios físicos e mentais que proporciona. Os praticantes da ioga utilizam com frequência a palavra namastê, geralmente como uma despedida no final da aula. Como é uma palavra em sânscrito, poucas pessoas conhecem o seu belo significado.

Sua origem é muito antiga

As origens da palavra namastê são muito remotas, já que vêm da antiga cultura hindu. Umas das muitas línguas faladas na Índia é o sânscrito, que é considerada uma língua sagrada dentro dessa cultura. Os linguistas consideram o sânscrito um idioma perfeito e completo do ponto de vista gramatical. Os hindus usam a palavra namastê como uma forma de saudação, despedida, para agradecer e pedir, para demonstrar respeito, geralmente acompanhada pelo gesto (mudra) de juntar as palmas das mãos em forma de oração, colocando-as no centro do peito.

Qual é o seu significado?

Namastê é uma palavra composta. O termo “nama” significa saudação ou reverência e etimologicamente vem do “nam”, que quer dizer prostrar ou inclinar. O sufixo “te” é um pronome pessoal que significa “a você”. Então, se juntarmos os significados, descobrimos que namastê quer dizer algo como “eu o saúdo” ou “eu o reverencio”. No entanto, ela pode ter outros significados.

Namastê, espírito e ioga

Além do aspecto estritamente semântico da palavra namastê, o aspecto filosófico e espiritual que vem do sânscrito dá um significado mais profundo a essa palavra.
Por exemplo, o termo “nama” pode ser interpretado como “nada é meu”, o que significa que meu ego está reduzido a nada, conotando uma atitude de humildade diante do outro. Se essa saudação for de coração, se estabelece uma ligação verdadeira entre as pessoas, acima das expectativas e das máscaras sociais.
Outro significado espiritual dessa multifacetada palavra está na crença de que existe uma centelha divina em cada pessoa. Então, quando a palavra namastê é acompanhada por um gesto ou mudra, com as mãos juntas e uma inclinação de cabeça, estamos reconhecendo essa centelha divina em nós e no outro. Se nos expressássemos em palavras, seria algo como: “o Deus que habita o meu interior reconhece o Deus que habita em você”.
Como dissemos anteriormente, embora se utilize a palavra namastê no final das aulas de ioga como uma despedida, na realidade ela pode ser tanto uma despedida como uma saudação. O ideal seria começar a prática da ioga dizendo namastê como uma introdução e preparação, e falar novamente no final da aula, quando a mente e o ambiente estão mais calmos. Geralmente, os instrutores de ioga preferem dizer no final da aula, quando a energia é mais propícia.
A partir de agora, quando ouvir ou falar a palavra namastê, lembre que, de acordo com essa cultura antiga, você está participando conscientemente do processo de evolução espiritual que essa palavra estimula.
Fonte: The Mind is Wonderfull
http://portaldobudismo.org/2015/05/18/o-significado-da-palavra-namaste/

terça-feira, dezembro 08, 2015

Atitudes que drenam energia

Por mais que existam pessoas desequilibradas e difíceis de lidar, somos os principais responsáveis pela nossa energia e cabe a cada um de nós preservá-la e administrá-la da melhor forma possível. Conheça 12 atitudes que podem estar lhe fazendo mal e evite-as:

1 – Pensamentos obsessivos
Pensar gasta energia, e todos nós sabemos disso. Ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho físico. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos – mal comum ao homem ocidental, torna-se escravo da mente e acaba gastando a energia que poderia ser convertida em atitudes concretas, além de alimentar ainda mais os conflitos. Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar as energias, enquanto o pessimismo consome energia e atrai mais negatividade para nossas vidas.
 
2 – Sentimentos tóxicos
Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas. Isso acontece quando a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade é gasta na manutenção de sentimentos negativos. Medo e culpa também gastam energia, e a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos, como a amizade, o amor, a confiança, o desprendimento, a solidariedade, a auto-estima, a alegria e o bom-humor recarregam as energia e dão força para empreender nossos projetos e superar os obstáculos.
 
3 – Maus hábitos – Falta de cuidado com o corpo
Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer são sempre colocados em segundo plano. A rotina corrida e a competitividade fazem com que haja negligência em relação a aspectos básicos para a manutenção da saúde energética.
 
4 – Fugir do presente
As energias são colocadas onde a atenção é focada. O homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis: “bons tempos aqueles!”, costumam dizer. Tanto os saudosistas, que se apegam às lembranças do passado, quanto aqueles que não conseguem esquecer os traumas, colocam suas energias no passado. Por outro lado, os sonhadores ou as pessoas que vivem esperando pelo futuro, depositando nele sua felicidade e realização, deixam pouca ou nenhuma energia no presente. E é apenas no presente que podemos construir nossas vidas.
 
5 – Falta de perdão
Perdoar significa soltar ressentimentos, mágoas e culpas. Libertar o que aconteceu e olhar para frente. Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos, gastando menos energia ao alimentar as feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer seus caminhos livres, abertos para a felicidade. Quem não sabe perdoar os outros e si mesmo, fica “energeticamente obeso”, carregando fardos passados.
 
6 – Mentira pessoal
Todos mentem ao longo da vida, mas para sustentar as mentiras muita energia é gasta. Somos educados para desempenhar papéis e não para sermos nós mesmos: a mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, o mártir e o intelectual. Quando somos nós mesmos, a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço.
 
7 – Viver a vida do outro
Ninguém vive só e, por meio dos relacionamentos interpessoais, evoluímos e nos realizamos, mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individualidade. Esse equilíbrio nos resguarda energeticamente e nos recarrega. Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do que é recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria vida. O único prêmio, nesse caso, é a frustração.
 
8 – Bagunça e projetos inacabados
A bagunça afeta muito as pessoas, causando confusão mental e emocional. Um truque legal quando a vida anda confusa é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa e os documentos, além de fazer uma faxina no que está sujo. À medida em que ordenamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem nossa mente e coração. Pode não resolver o problema, mas dá alívio. Não terminar as tarefas é outro “escape” de energia. Todas as vezes que você vê, por exemplo, aquele trabalho que não concluiu, ele lhe “diz” inconscientemente: “você não me terminou! Você não me terminou!” Isso gasta uma energia tremenda. Ou você a termina ou livre-se dela e assuma que não vai concluir o trabalho. O importante é tomar uma atitude. O desenvolvimento do auto-conhecimento, da disciplina e da terminação farão com que você não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas consumirão seu tempo e energia.
 
9 – Afastamento da natureza
A natureza, nossa maior fonte de alimento energético, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energia. A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados em suas energias vitais.
 
10. Preguiça, negligência
E falta de objetivos na vida. Esse ítem não requer muitas explicações: negligência com a sua vida denota também negligência com seus dons e potenciais e, principalmente, com sua energia vital. Aquilo do que você não cuida, alguém vem e leva embora. O resultado: mais preguiça, moleza, sono….
 
11. Fanatismo
Passa um ventinho: “Ai meu Deus! Tem energia ruim aqui!” Alguém olha para você: “Oh! Céus, ela está morrendo de inveja de mim!” Enfim, tudo é espírito ruim, tudo é energia do mal, tudo é coisa do outro mundo. Essas pessoas fanáticas e sugestionáveis também adoram seguir “mestres e gurus” e depositar neles a responsabilidade por seu destino e felicidade. É fácil, fácil manipular gente assim e não só em termos de energia, mas também em relação à conta bancária!
 
12. Falta de aceitação
Pessoas revoltadas com a vida e consigo mesmas, que não aceitam suas vidas como elas são, que rejeitam e fazem pouco caso daquilo que têm. Esses indivíduos vivem em constante conflito e fora do seu eixo. E, por não valorizarem e não tomarem posse dos seus tesouros – porque todos nós temos dádivas – são facilmente ‘roubáveis’.

O importante é aprender a aceitar e agradecer tudo o que temos (não confundir com acomodação). Quando você agradece e aceita fica em estado vibracional tão positivo que a intuição e a criatividade são despertadas. Surgem, então, as possibilidades de transformar a vida para melhor!

(Texto de Vera Caballero | Via: O Mundo de Gaya)


- Veja mais em: http://despertarcoletivo.com/atitudes-que-drenam-energia/

sábado, dezembro 05, 2015

There is a big difference between giving up and letting go.

There is a big difference between giving up and letting go. Letting go means freeing yourself from something that is no longer serving you. It means removing toxic people and belief systems from your life so that you can make room for relationships and ideas that are conducive to your well being and happiness.
Giving up reduces your life. Letting go expands it. Giving up is imprisoning. Letting go is liberation. Giving up is self-defeat. Letting go is self-care.So the next time you make the decision to release something or someone that is stifling your happiness and growth, and a person has the audacity to accuse you of giving up or being weak, remind yourself of the difference.
Remind yourself that you don’t need anyone’s permission or approval to live your life in the way that feels right. No one has the authority to tell you who to be or how to live.
~Daniell Koepke

http://www.positivethoughtsandmore.com/2015/11/there-is-a-big-difference-between-giving-up-and-letting-go.html

quinta-feira, dezembro 03, 2015

5 Reasons You Keep Having The Same Problems



Have you ever had the experience of encountering the same problems repeatedly? Don’t worry, you aren’t alone.  
Our lives are governed by the Law of Attraction, our thoughts and feelings are what build our reality, and that includes our problems! Now the Law of Attraction doesn’t just work by dropping things into your lap because you think about them or ask for them. The Law of Attraction only works if you take action, too.
At times, we have a negative focus that is so strong that it leads to attracting the same problems over and over again. And because we don’t take action to make it stop, it keeps reappearing.

HERE ARE 5 REASONS WHY YOU KEEP HAVING THE SAME PROBLEMS:

1. YOU ACT OUT OF FEAR.

If taking actions are an important part of the Law of Attraction, then acting out of fear, attracts more fear.  Recognizing that a little fear is normal when we try new things might help us to move through the fear into new territory. The bottom line is that having SOME fear doesn’t stop us from moving forward in life. It’s letting that fear stop us from pursuing solutions that is harmful.
We should try to take actions with confidence and optimism. Believing the action will succeed with the proper mood and attitude is half the battle. This works simply because our moods and actions come together in unison.
Changing our moods will alter our behaviors, and changing our behaviors may also alter our moods. This will help change the way we look at the issue, and how the problems manifest themselves into our reality.

2. YOU WORRY OBSESSIVELY ABOUT THE PROBLEM.

While we tend to believe worrying is a helpful tool for working through a problem, nothing can be farther from the truth. When we focus completely on our problems, we are creating more energy around them.
Though many people know that negative thinking results in problems, altering our thoughts is still easier said than done. Our thinking moves at a fast pace and just happens without any planning or effort, so thought control could be a little tough at times – especially when we are in the middle of the challenge.
It’s very important to keep in mind that even though we can change our conscious thinking, we will always have some unwanted and unintended thoughts.  Allow them to happen, because they often signal when something is wrong. A few negative thoughts will not ruin our life, but dwelling on them can.

3. YOU CONSISTENTLY COMPLAIN OR TALK ABOUT THE PROBLEMS.

Much like worrying, the more our problems are the topic of conversation, the more energy from the Universe they receive.
For many of us, complaining is the biggest reason we continue to encounter the same problems. We talk about them too much and stay focused on the problem, not the solution.
Choosing to stop complaining sounds easy in theory, but it is often a habit that needs a little thought to break. The best way to stop it is to find someone who can call us out when we are complaining. I think we will be surprised at much complaining has infiltrated our day.

4. YOU HAVE BECOME BEST FRIENDS WITH MISERY.

You know what they say, “misery loves company.” Well, it might be true, but it doesn’t help if you want to stop having the same problems. The Universe will act not only on what you think and what you say, but it responds based on your intentions.
Sometimes though, we are confused and aren’t clear about what we want, so unintentionally, we are creating more problems to go along with our existing ones. This happens when we overlook the signals being sent, and the Universe can only respond by sending louder signals or more misery.
The best thing we can do is try to quiet the world around us through meditation and mindfulness. These tools will help us become clear on what the challenges are and show us the direction to take when we reach the fork in the road.

5. YOU ARE TOO HARD ON YOURSELF.

We are sometimes our worst critic. We can be unforgiving and unkind to ourselves when we find ourselves in similar situations over and over again. We keep making the same mistakes and keep thinking the same thoughts.
Let’s take it easy on ourselves. We must learn to forgive ourselves for the mistakes we made yesterday and begin to look at our problems differently today. Our goal is not perfection; it should just be to do our best and learn a little along the way.
Taking small actions is the way to slow the momentum while avoiding getting overwhelmed when things seem to be spiraling out of control. In the end, just putting your awareness behind a recurring problem is a big win, because you will then learn why you keep encountering this problem, and what you can do about it.

quarta-feira, dezembro 02, 2015