quarta-feira, março 28, 2007

Let it be

The perfection of all things lies not in your judgment of what should
be; it lies in your acceptance of what is. And by acceptance, we do not
mean apathy and resignation; we mean an active involvement in what is,
a joining in, but yet within the guidelines of what truly is.

Your goal is not hope, not a denial of things as they are and a wishing
for things to be other. Acceptance is an objective state, a deep and
complete understanding that this is the way this moment is, this is how
things are, but without judgment that they should have been otherwise.

Now is. You are. All is as it is. And that is the beginning and end
to truth.

Life is not about what might be in the next moment; it is about what is
right now. And now is the only truth, the only place of action, the
only place you ever truly are. And it has a contour, it has its ways.
It is as it is and no other.

And if you accept it as it is, without blame or judgment, without
criticism and condemnation, without hope that it may change, then it will
open to you. It will open in beauty and peace. It will open in wonder.
And when this moment opens to you and you fully step in, you will
understand its perfection. For at the heart of each moment is a deep
beingness, a oneness with all that was, is and will be, for at the deepest
heart of this moment, there is no time. At the very heart of this
heartbeat, there is only all. And all encompasses. And all simply is.

Give yourself permission to let things go and let things be. You do
not need to fix everything you think needs fixing. You can let things
be, in their disarray, in their uncontrolled states, in their confusion
and apparent lack of direction. You can do things without having a
purpose to your action, simply because it crosses your mind to do it. You
can let other people be as they are, even with all of their so-called
faults. And you can allow yourself to be a person who tries new things
and inevitably makes mistakes, sometimes big mistakes, in the process
of learning.

Life is much easier when you are not a critic and a judge, when you are
not on a program of self-improvement with specific goals and deadlines.
For what is the end goal, the ultimate purpose of all of your
activities? Peace of mind and happiness. That is what you think love, money
and security will give you. And yet they lie before you, ignored and
pushed aside, hidden deeply within the folds of this moment. And they ask
only that you dip down and become one with the tick of life, to tock of
being, the slow and subtle movement of one little moment pushing up
against the next.

Yes, yes, let it be. Let it all be as it is. How easy this truly is.


Here is a little prayer for today

I stand quietly and breathe deeply, pulling myself down into this
moment just as it is. I feel the peace enfolding me. I feel the love
pouring into me as the moment opens to me, like the heart of a flower
unfolding to the sun. I drink the sweet nectar of this moment just as it is.
I feel myself becoming deeply one with all that is, just as I am.

I am this moment. I am each moment that passes, deeply one and
connected. I am love that transcends time. I am time itself. I am all that
is. I am.

This perfect moment


Today on this most perfect of days, realize this: everything is exactly as it should be. Every step you have taken has led you here. Every event in your life, those things you struggled with, those things that came to you as gifts, those things that pulled you off course, all of it is exactly as it should be, right now.



To think anything less is to deny the wonder and perfection of this moment, right now. Right now, in this moment, go deeply down. Right now, as you read these words, open the top of your head and allow the golden grace to flow into you, filling you. Allow yourself to fill with love and faith. Allow your heart to heal. Allow all the ice to melt, allow the hardness to soften, allow the light to permeate the denser parts of your body and your psyche. Fill yourself with golden grace. Feel how this is what is real, this moment, this presence, this wonder.



Feel that this is the true self, this golden glow of light. Feel that this moment, this golden flow, this wonder of self, is exactly as it should be. There is no other reality. There is no better or preferred way to be. There is nothing but this moment, complete in its loving embrace and its beauty, right now.



Your life circumstance is nothing compared to this, to this peace, to this love. Your hunger for romance and money is nothing; it is all a seeking after what is within you right now. It is like a dog who chases his tail in circles, around and around, when he might sit in peace and have all that life offers.



All that life offers is within you, right now. This glow, this love, this deep well of peace, endless. It is perfection; it is complete.



Build your life upon this feeling of peace, this glow of light and love, this core of being. Take this perfection and let it extend out just one inch all around you and your life will begin to transform. Now let it spread out further and further, and all of your relationships will begin to transform. Face each morning with a heart full of joy and courage, ready to go out and live, ready to risk being who you are and showing it to the world, and everything will begin to transform.



But leave this core and focus on the externals only, make them your primary focus, and your life will be full of disappointment and confusion, as you seek to find outside what is already yours deep inside.



The peace is here, right now. The joy, the beauty and wonder, the love. It is all here, right now, glowing in its perfection, right here, right now.



Here is a little prayer for today



I open myself to the glow that is me, to my true self and to the loving grace that is there for me, ever and always. I allow the light of love to flow into me and fill me. I feel my heart becoming soft and warm. I feel my center filling with a deep and endless peace. I feel myself deeply in the embrace of love.



I am love. I am love completely. I am love and peace abiding. I am.

Past Life Reasons For Illnesses & Depression

By: Whitneay T. Vanwells

1. Allergies:

Death by fire, the gas chamber, smothering. Death by grass, forest fires,

and buried alive. Allergies to cat, or dog hair, killed by lions/large cats,

or killed by wolves. Mold allergies; died in a wet pit; or death/sickness in a

jungle.

2. Asthma & lung disease:

Death by being burned at the stake, death by gas chamber. Broken heart

(damaged and repressed energies in the heart chakra).

3. Appendix:

Hate of self, and of life. Repressed energies. Past life death injury in that

region.

4. Arthritis:

Injustice, martyrdom, massive toxins overload. If the toxins are bad enough,

cancer might follow later.

5. Blindness/vision problems:

Afraid to 'look' at life, fear of the truth, not wanting to see reality. Head injury

in childhood, - hit on the head by parents (trapped negative energies).

6. Cancer: SELF-PUNISHMENT PROGRAMS.

If your doctor told you that you have cancer in your family and that you might

get it, that becomes a belief in cancer, and also a program. Self punishment

on the body, vows to self punishment on the body, and not feeling worthy of

good health, parents death wish.

Leukemia:

Self hate.

Cancer in the reproduction organs:

Torture, white hot poker in past lives; guilt from sex, or sexual abuse; blocked

screams.

Lung cancer:

Blocked heart chakra from childhood traumas, toxins, parasites.

Cancer in the digestive system:

Stored rape, death wish from childhood. Not worthy to receive (nutrition),

stored rage.

Cancer - Larynx:

Not allowed to speak as a child, hanging in past lives, and strangulation in

past lives, or slave collar.

Cancer bones:

The bones are the frame work of the body, not able to stand up for oneself

& express oneself. If you have cancer, you will need blocks on healing

removed, toxins removed, and work to build up your immunity. Your will also

need major cleansing.

7. Chronic Fatigue:

Wanting to die, wasted away in another life, guilt, anger turned inward.

8. Circulation:

Hate of self, cut-off from life.

9. Deafness:

Death injury, not wanting to hear, being yelled at, or bitched at.

10 Dumb (voice):

Strangulation, slave collar, hanging, beheading, not allowed to speak as a child.

Poison, or chemical poison past lives.

11. Fibromyalgia:

Past life injuries, massive toxic overload and auto immune. Past life: parasites,

bacteria, micro bacteria, fungus, yeast, viruses, and forms not known.

12. Gall Bladder:

Repressed joy, mind causing illness, blocked energy flow.

13. Birth Marks: Disease scars, burn marks, death wounds.

14. Hemorrhoids:

Sitting too long, past life oarsman, multiple pregnancies, this life or past.

15. Illness: Self punishment, karmic lessons to learn, death wish, not wanting to face

life. Not taking responsibility in life, wanting to be taken care of. Not feeling

worthy of good health.

16. Indigestion:

Body language "I've had a belly full of this!" - trapped anger, refused emotions

(food as a symbol for love), toxic overload. Dehydration.

17. Knees:

Not willing to stand up for oneself. Not wanting to take responsibility. Priest and

priestess lives, and kneeling for hours.

18. Obesity:

Childhood programming, food as a replacement for love, and fat as a shield.

19. Pituitary:

Cut off from the Divine worlds, feeling cast out of heaven, head injury in past lives,

fear of going to hell, and fear of punishment by God.

20. Psoriasis:

Past life death by burning, intestinal death wounds, very toxic intestines this life.

Research leaky gut syndrome.

21. Stomach:

Death by poison, or stuffed rage.

22. Varicose veins:

Tortured deaths, death by burning, leprosy, blocked life force.

23. Skin Pigmentation Loss: Death scars from a fire. Death wounds.

Some Past Life Causes Of

Depression, Fears, Anxieties, & Phobias

1. Fear of snakes: Death by snakes, rape/death experience.

2. Fear of water: Death by drowning, lung disease, dunking torture.

3. Fear of small spaces: Buried alive, tied up and murdered, chained in prison,

or rape.

4. Fear of spiders: Death by spiders, black magic.

5. Fear of bears: Death by bears, loss of loved ones by bears.

6. Fear of insects: Indian torture - staked to the ground, killed by insects.

7. Fear of fire: Burned at the stake, death by forest fire, or house fire.

8. Fear of men: Raped, beaten, human sacrifice, killed or abused, by men.

9. Fear of women: Abused, beaten, humiliated, or tortured by women.

10. Fear of heights: Killed in a plane, fell off of a cliff, killed by being thrown off a

cliff.

11. Fear of lack of food: Starvation, not enough food as a child, parents went through

the depression, or their parents did.

12. Fear of desertion or loss of love: Abandonment issues, this and past lives.

13. Fear of crowds: Hung, or murdered by a mob. Killed in a war, related to the fear

of battle.

14. Fear of Public Speaking: Murdered by the government for speaking out. Chastised

in front of a large group. Tortured to death in front of a large group, or killed by a

firing squad.

15. Fear of Humiliation: Critical parents.

Depression is almost always related to entity involvement. This is a very common issue

that most people are not even aware of at all. Some that experience forms of paranoid

feelings, are really experiencing the thoughts of the entities that are attached to them.

There are those that have been diagnosed with multiple personalities, that really have

several of these beings attached to them. Sometimes they hear 'voices' as well. Entities

are routinely removed during the Dharma Energy ClearingTM sessions, and we also train

our clients on how to stay clear of them. We also train our clients on ways to stay clear

of psychic involvement, and control, from others.

Note: Anxieties are almost always related to past life death experiences, that are being

re-lived in the present time. These can be removed during a clearing session. Some

anxiety attacks are also related to early childhood traumas, where there was a great

deal of stress, and psychic attack from parents, in the childhood home.

sábado, março 24, 2007

A Doença Como Caminho

Este texto é uma indicação de leitura do livro "A Doença Como Caminho", de Thorwald Dethlefsen e Rüdiger Dahlke, que trata do conteúdo psicológico associado a vários tipos de doenças e incidentes, os quais por não conseguirmos trabalhar / montar adequadamente em nossa psique, passam a fazer parte da nossa "sombra", não sendo percebidos conscientemente, manifestando-se, então, em nosso corpo físico, para que assim os possamos vivenciar, para superar e integrar seus conseqüentes desafios e ensinamentos.

Por fazerem parte de nossa "sombra", habitando exatamente nosso inconsciente, e não o consciente, o mais normal é que não aceitemos estar vivendo ou ter alguma coisa haver com quaisquer dos assuntos levantados em relação às perguntas e questões associadas às doenças citadas. O mais normal é negarmos a existência das situações cogitadas em relação a nossas vidas...

A nosografia é uma prática milenar que se constitui na descrição sistemática das doenças, que é exactamente do que trata o livro aqui indicado. Esse tipo de abordagem tem uma diferenciação fundamental em relação aos remédios (que são necessários dentro de contextos específicos, diferente do uso banalizado que vêm tendo), pois age focando a causa das doenças, enquanto os remédios agem sobre os efeitos, sem nada acrescentarem ao processo de trabalho das causas a não ser fazer com que a pessoa possa ganhar algum tempo para se recompor, o que perde o efeito e sentido nas abordagens com medicações a médio e longo prazos. Focar a causa das doenças nos leva à questão de qual a memória/lembrança a ser resgatada pela pessoa(*), de modo a tornar-se novamente uma manifestação da perfeição universal.
(*) bem como do entendimento do porque da experiência de vida dolorsa pela qual está passando.

Aqui estão apenas algumas das doenças listadas e num resumo muito geral, contendo apenas a parte de questões levantadas em alguns capítulos, além de um texto na íntegra sobre "depressão", para servir como exemplo. Vale a pena ler o livro, que traz além deste "guia rápido" copiado aqui, a análise e interpretação ligada aos diversos sistemas do corpo físico, e possuí-lo posteriormente como guia para consultas quando oportuno.

Um outro livro excelente com esse mesmo tipo de abordagem é: Metafísica da Saúde - Sistemas Respiratório e Digestivo - Valcapelli & Gasparetto.

Ao final, segue ainda uma lista complementar sobre o mesmo assunto com a visão da psicóloga americana Lois L


--------------------------------------------------------------------------------

Infecção - um conflito que se materializou
Quem mostra predisposição a inflamações está tentando evitar conflitos.
No caso de contrairmos uma doença infecciosa, devemos nos fazer as seguintes perguntas:
1 - Qual o conflito existente em minha vida que até agora eu não vejo?
2 - Que conflito estarei evitando?
3 - que conflito tento fingir que não existe?
Para descobrir que conflito se trata, basta prestar atenção ao simbolismo do órgão afetado ou da parte doente do corpo.

Alergia - uma agressividade que se materializou
A pessoa alérgica deve fazer a si mesma as seguintes perguntas:
1 - Por que não suporto tomar consciência da minha agressividade, e a transfiro para a manifestação corporal?
2 - Quais âmbitos da vida me inspiram tanto medo que procuro evitá-los?
3 - Para que temas apontam os meus alérgenos?
4 - Até que ponto uso minha alergia para manipular o meio ambiente?
5 - Como encaro o amor, qual é a minha capacidade de amar?

Respiração - Assimilação da Vida
No caso de doenças que tenham relação com a respiração, a pessoa doente deve fazer a si mesma as seguintes perguntas:
1 - O que me faz sentir falta de ar?
2 - O que me recuso a aceitar?
3 - O que estou evitando dar?
4 - Com o que não desejo entrar em contato?
5 - Acaso terei medo de dar o passo para uma nova liberdade?

Asma
Perguntas que a pessoa asmática deve fazer a si mesma:
1 - Em que âmbitos da vida quero receber sem dar nada em troca?
2 - Consigo confessar conscientemente minhas agressões? Que possibilidades disponho para expressá-las?
3 - Como lido com o conflito entre a vontade de dominar e a sensação de inferioridade?
4 - Quais setores da vida valorizo e quais rejeito? Posso sentir algo do medo que fundamenta meu sistema de valores?
5 - Quais setores da vida procuro evitar por considerá-los sujos, baixos, ignóbeis?
Não se esqueça: Sempre que se sente uma limitação, ela de fato é medo! O único modo de combater o medo é expandindo-se. A expansão ocorre se a pessoa deixar entrar aquilo que até agora rejeitou!

Males Estomacais e Digestivos
No caso de males estomacais e digestivos, devemos nos fazer as seguintes perguntas:
1 - O que não posso ou não quero engolir?
2 - Algo está me moendo por dentro?
3 - Como lido com meus sentimentos?
4 - O que me deixa tão azedo?
5 - Como expresso a minha agressividade?
6 - Como fujo dos conflitos?
7 - Existe em mim alguma saudade reprimida de um paraíso infantil, livre de conflitos, em que eu só seja amado e cuidado, sem precisar me esforçar para nada?

Doenças Hepáticas
A pessoa que sofre do fígado deve fazer a si mesma as seguintes perguntas:
1 - Em que âmbitos perdi a capacidade de fazer uma avaliação e uma discriminação corretas?
2 - Onde é que não consigo mais decidir entre aquilo que posso suportar e aquilo que é um "veneno" para mim?
3 - Em que sentido ando cometendo excessos? Até que ponto estou "voando alto demais" (ilusões de grandeza) e onde venho ultrapassando os limites?
4 - Acaso me preocupo comigo mesmo e com o âmbito da minha "religio", de minha religação com a fonte primordial? Ou o mundo da multiplicidade está impedindo minha percepção intuitiva? Os temas filosóficos ocupam uma parte muito pequena na minha vida?
5 - Confio nos outros?

Doenças dos Olhos
Quem tiver problemas com os olhos, ou seja, com a visão, deve em primeiro lugar abandonar por um dia seus óculos (e/ou lentes de contato) e viver conscientemente a situação honesta de vida criada pelo fato. Depois desse dia, deve fazer um relatório honesto, descrevendo o modo como viu o mundo e as experiências que teve, o que pôde e o que não pôde fazer, no que foi impedido pela falta de visão, como lidou com o ambiente exterior etc. Um relatório como esse deve fornecer-lhe material suficiente para poder conhecer melhor sua personalidade, seu mundo e seu modo de ser. Essencialmente, deve responder às seguintes perguntas:
1 - O que não desejo ver?
2 - Minha subjetividade tem impedido meu autoconhecimento?
3 - Deixo de ver a mim mesmo nos acontecimentos?
4 - Uso a visão para obter uma percepção mais elevada?
5 - Tenho medo de ver os contornos rígidos (definidos) das coisas?
6 - Posso suportar, afinal, ver as coisas como elas são?
7 - Qual o âmbito de minha personalidade de que procuro desviar o olhar?

Doenças do Ouvido
Quem tem problemas com os ouvidos, ou seja, com o ato de ouvir, deve de preferência fazer a si mesmo as seguintes perguntas:
1 - Por que não estou disposto a prestar atenção ao que os outros dizem?
2 - A quem ou a que não desejo obedecer?
3 - Há equilíbrio entre os dois pólos de minha personalidade, o egocentrismo e a submissão?

Dores de Cabeça
Quem sofrer de dores de cabeça o tiver enxaquecas deve fazer a si mesmo as seguintes perguntas:
1 - Com que estou "quebrando a minha cabeça"?
2 - O "em cima" e o "embaixo" estão num equilíbrio dinâmico dentro de mim?
3 - Estou me esforçando demais para subir? (cobiça)
4 - Sou um cabeçudo e tento derrubar os obstáculos com a cabeça?
5 - Tento substituir a ação pelo pensamento?
6 - Estarei sendo honesto no que se refere aos meus problemas sexuais?
7 - Por que transfiro o orgasmo para a cabeça?

Doenças de Pele
Quem teve afecções cutâneas deve fazer a si mesmo as seguintes perguntas:
1 - Acaso estarei me isolando demais?
2 - Qual é a minha capacidade de estabelecer contatos?
3 - Por trás da minha atitude defensiva não haverá um desejo de intimidade?
4 - O que será que deseja atravessar os limites a fim de se tornar visível (sexualidade, desejo, paixão, agressividade, satisfação)?
5 - O que é que de fato está "coçando" dentro de mim?
6 - Acaso resolvi viver no ostracismo?

Doenças Renais
Quando temos alguma coisa nos rins devemos fazer a nós mesmos as seguintes perguntas:
1 - Quais problemas me afligem no âmbito conjugal?
2 - Acaso tenho tendência a estagnar na projeção e, desta forma, a considerar os erros do meu parceiro como problemas que só dizem respeito a ele?
3 - Deixo de ver a mim mesmo no modo como o meu parceiro se comporta?
4 - Ando me apegando a velhos problemas e, deste modo, interrompendo o fluxo do meu próprio desenvolvimento?
5 - A que salto para o futuro meu cálculo renal está tentando me estimular?

Os males da Bexiga
Doenças na bexiga sugerem as seguintes perguntas:
1 - A quais âmbitos me apego, embora ultrapassados, e só à espera de serem eliminados?
2 - Em que ponto me coloco sob pressão e a projeto para os outros (exames, o chefe)?
3 - Que assuntos gastos devo abandonar?
4 - Por que choro?

Doenças Cardíacas
No caso de perturbações e doenças cardíacas devemos fazer as seguintes perguntas:
1 - Há equilíbrio entre meu coração e minha cabeça, entre a compreensão e o sentimento? Eles estão em harmonia?
2 - Dou espaço suficiente para meus próprios sentimentos, me atrevo a demonstrá-los?
3 - Vivo e amo de todo coração ou apenas participo, sem grande entusiasmo?
4 - Minha vida transcorre num ritmo animado ou a forço a dotar um ritmo rígido?
5 - Ainda há combustível e explosivos suficientes em minha vida?
6 - Tenho escutado a voz de meu coração?

Distúrbios do Sono
A insônia deve servir de motivo para se fazer as seguintes perguntas:
1 - Até que ponto dependo do poder, do controle, do intelecto e da observação?
2 - Acaso posso me desapegar?
3 - Como desenvolvo minha capacidade de entrega e minha sensação de uma confiança básica?
4 - Acaso me preocupo com o lado sombrio da minha alma?
5 - Quão grande é o meu medo da morte? Já me reconciliei o suficiente com ela?

Uma necessidade exagerada de dormir suscita as seguintes questões:
1 - Ando fugindo da atividade, da responsabilidade, da conscientização?
2 - Vivo num mundo quimérico e tenho medo de acordar para a realidade da vida?



Lista das Correspondências Psíquicas
dos Órgãos e Palavras-chave para as Partes do Corpo

Bexiga - Pressão, desapego
Boca - Disposição para receber
Cabelos - Liberdade, poder
Coração - Capacidade de amar, emoção
Costas - Correção
Dentes - Agressividade, vitalidade
Estômago - Sensação, capacidade de absorção
Fígado - Avaliação, filosofia, religio
Gengivas - Desconfiança
Intestino delgado - Elaboração, análise
Intestino grosso - Inconsciente, ambição
Joelhos - Humildade
Mãos - Entendimento, capacidade de ação
Membros - Movimentos, flexibilidade, atividade
Músculos - Mobilidade, flexibilidade, atividade
Nariz - Poder, orgulho, sexualidade
Olhos - Discernimento
Ouvidos - Obediência
Órgãos genitais - Sexualidade
Ossos - Firmeza, cumprimento das normas
Pele - Delimitação, normas, contato, carinho
Pênis - Poder
Pés - Compreensão, firmeza, enraizamento, humildade
Pescoço - Medo
Pulmões - Contato, comunicação, liberdade
Rins - Parceria, discernimento, eliminação
Sangue - Força vital, vitalidade
Unhas - Agressividade
Vagina - Entrega
Vesícula biliar - Agressividade

A Depressão

Depressão é um termo geral para um quadro sintomático que vai de um mero sentimento de abatimento até uma perda real da motivação para viver, ou a assim chamada depressão endógena, que é acompanhada de apatia absoluta. Ao lado da inibição total das atividades e de uma disposição abatida de ânimo, encontramos na depressão sobretudo um grande número de sintomas colaterais físicos, como cansaço, distúrbios do sono, falta de apetite, prisão de ventre, dores de cabeça, taquicardia, dores na coluna, descontrole menstrual nas mulheres e queda do nível corporal da energia. A pessoa depressiva é atormentada pela sensação de culpa e vive se auto-repreendendo; está sempre ocupada em voltar às boas (fazer as pazes) com tudo. A palavra depressão deriva do verbo latino deprimo, que significa "subjugar" e "reprimir". A questão que surge de imediato se refere ao que a pessoa deprimida sente, se está sendo subjugada ou se está de fato reprimindo alguma coisa. Para responder à questão temos de considerar três âmbitos relativos ao assunto:

1 - Agressividade: Num trecho anterior do livro dissemos que a agressividade que não é exteriorizada acaba por se transformar em dor física. Poderíamos completar essa constatação ao dizermos que a agressividade reprimida leva, no âmbito psíquico, à depressão. A agressividade cuja manifestação é impedida, bloqueada, volta-se para dentro de tal forma que o agressor acaba por tornar-se a vítima. A agressividade reprimida acaba sendo responsável não só pela sensação de culpa, mas também pelos inúmeros sintomas colaterais que a acompanham, com seus vários tipos de sofrimento. Já dissemos, num momento anterior, que a agressividade é tão-somente uma forma específica de energia vital e de atividade. Sendo assim, aqueles que ansiosamente reprimem seus impulsos agressivos reprimem ao mesmo tempo toda sua energia e atividade. Embora a psiquiatria tente envolver as pessoas deprimidas em algum tipo de atividade, elas simplesmente acham isso uma ameaça. De forma compulsiva, elas evitam tudo o que possa suscitar desaprovação e tentam ocultar seus impulsos destrutivos e agressivos, vivendo de maneira irrepreensível. A agressividade dirigida contra a própria pessoa chega ao auge no caso do suicídio. Tendências suicidas sempre são um alerta para que observemos a quem são dirigidas de fato as intenções assassinas.

2 - Responsabilidade: À exceção do suicídio, a depressão sempre é, em última análise, um modo de evitar responsabilidades. Os que sofrem de depressão já não agem; meramente vegetam, estão mais mortos do que vivos. No entanto, apesar de sua contínua recusa em lidar de forma ativa com a vida, os depressivos são acusados pela responsabilidade que entra pela porta de trás, ou seja, por sues próprios sentimentos de culpa. O medo de assumir responsabilidades passa para o primeiro plano exatamente quando essas pessoas têm de entrar numa nova fase da vida, tornando-se bastante visível, por exemplo, na depressão puerperal.

3 - Recolhimento - solidão - velhice - morte: Estes quatro tópicos intimamente relacionados servem para resumir as áreas mais importantes dos três temas anteriores, mostrando quais são os nossos pressupostos básicos para refletir sobre eles. A depressão provoca o confronto dos pacientes com o pólo mortal da vida. As pessoas que sofrem de depressão são privadas de tudo o que de fato está vivo, como o movimento, a mudança, o companheirismo e a comunicação. Em sua vida, é o pólo oposto que se manifesta, ou seja, a apatia, a rigidez, a solidão, os pensamentos voltados para a morte. Na verdade, embora esse aspecto mortal da vida seja sentido com intensidade na depressão, ele nada mais é do que a própria sombra do paciente.

Nesse caso, o conflito está no fato de a pessoa deprimida ter tanto medo de viver como de morrer. A vida ativa traz consigo uma culpa e uma responsabilidade inevitáveis e esses são sentimentos que o deprimido faz questão de evitar. Aceitar responsabilidade é o mesmo que abandonar todas as projeções e aceitar a própria singularidade, ou o fato de estar só. Personalidades depressivas, no entanto, têm medo de fazer isso e, portanto, precisam apegar-se aos outros. A separação que, por exemplo, a morte de pessoas íntimas lhes impõe, pode servir de estímulo para a depressão. Os depressivos são, antes de mais nada, abandonados por conta própria, e viver por conta própria, assumindo responsabilidades, é a última coisa que querem fazer. Ter medo da morte é um outro fato que não lhes permite suportar a condicionalidade da vida. A depressão nos torna honestos: ela revela a nossa incapacidade tanto para viver como para morrer.


--------------------------------------------------------------------------------

Segundo a psicóloga americana Lois L. Há, todas as doenças que temos são criadas por nós. Ela afirma que somos 100% responsáveis por tudo de ruim que acontece no nosso organismo. "Todas as doenças tem origem num estado de não-perdão", diz a psicóloga.

Sempre que estamos doentes, necessitamos descobrir a quem precisamos perdoar. Quando estamos empancados num certo ponto, significa que precisamos perdoar mais. Pesar, tristeza, raiva e vingança são sentimentos que vieram de um espaço onde não houve perdão. Perdoar dissolve o ressentimento. A seguir, você vai conhecer uma relação de algumas doenças e suas prováveis causas, elaboradas pela psicóloga Louis.

DOENÇAS/CAUSAS:

AMIGDALITE: Emoções reprimidas, criatividade sufocada.
ANOREXIA: Ódio ao externo de si mesmo.
APENDICITE: Medo da vida. Bloqueio do fluxo do que é bom.
ARTERIOSCLEROSE: Resistência. Recusa em ver o bem.
ARTRITE: Crítica conservada por longo tempo.
ASMA: Sentimento contido, choro reprimido.
BRONQUITE: Ambiente família inflamado. Gritos, discussões.
CÂNCER: Mágoa profunda, tristezas mantidas por muito tempo.
COLESTEROL: Medo de aceitar a alegria.
DERRAME: Resistência. Rejeição a vida.
DIABETES: Tristeza profunda.
DIARRÉIA: Medo, rejeição, fuga.
DOR DE CABEÇA: Autocrítica, falta de autovalorização.
ENXAQUECA: Medos sexuais. Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista.
FIBROMAS: Alimentar mágoas causadas pelo parceiro.
FRIGIDEZ: Medo. Negação do prazer.
GASTRITE: Incerteza profunda. Sensação de condenação.
HEMORROIDAS: Medo de prazos determinados. Raiva do passado.
HEPATITE: Raiva, ódio. Resistência a mudanças.
INSONIA: Medo, culpa.
LABIRINTITE: Medo de não estar no controle.
MENINGITE: Tumulto interior. Falta de apoio.
NÓDULOS: Ressentimento, frustração. Ego ferido.
PELE (ACNE): Individualidade ameaçada. Não aceitar a si mesmo.
PNEUMONIA: Desespero. Cansaço da vida.
PRESSÃO ALTA: Problema emocional duradouro não resolvido.
PRESSÃO BAIXA: Falta de amor em criança. Derrotismo.
PRISÃO DE VENTRE: Preso ao passado. Medo de não ter dinheiro suficiente.
PULMÕES: Medo de absorver a vida.
QUISTOS: Alimentar mágoa. Falsa evolução.
RESFRIADOS: Confusão mental, desordem, mágoas.
REUMATISMO: Sentir-se vítima. Falta de amor. Amargura.
RINITE ALÉRGICA: Congestão emocional. Culpa, crença em perseguição.
RINS: Crítica, desapontamento, fracasso.
SINUSITE: Irritação com pessoa próxima.
TIREÓIDE: Humilhação.
TUMORES: Alimentar mágoas. Acumular remorsos.
ÚLCERAS: Medo. Crença de não ser bom o bastante.
VARIZES: Desencorajamento. Sentir-se sobrecarregado.

quinta-feira, março 22, 2007

Living the Reiki Ideals

By Robert Plotzke

Reiki as a path to enlightenment. .. how can this be? The Reiki Ideals are
the source. Mikao Usui (Reiki's founder) borrowed the Mejing emperor's
ideals, a code to live by found in most religions, and incorporated them
into his teachings. What are these ideals? Just for today... ""I will not
anger," "I will not worry," "I will show gratitude," "I will work hard on
myself," "I will be kind to everything that has life." Exploring the depth
of these little statements could and probably should take a lifetime.
"Just for today I will not anger." Not so hard to imagine, choosing not to
anger. Energetically anger can be seen as spikes of energy coming from one's
aura. When you feel angry, do you stop to realize all that is really going
on in your body and energy field? Ask yourself "Am I willing to take
responsibility for these outgoing anger spikes?" Most often anger is a
reaction to fear! When angry, what am I afraid of? What need do I perceive
as unmet; how do I feel threatened? After identifying the source of the
anger then I can channel that anger energy into motivation to face the fear
and go through it with love. Anger then becomes the fuel for change and
growth.
"Just for today I will not worry." Worrying is an incredible waste of
energy. If I do believe in some form of God then why am I worrying? Do I
have faith in the universe, and am I making a powerful statement saying so
or not? If there is something concerning me should it be ignored? No, every
step necessary to address the situation should be taken. Also see the
outcome in perfection, offer up a prayer, write it on a piece of paper and
do Reiki on it. If it surfaces in your mind, say an affirmation and let it
go. Worrying sends mixed messages to the universe; if you take the positive
steps and then worry chances are the good intention energy is being canceled
out by the worry energy. When we really are creators in our own right, when
we worry, what are we creating?
"Just for today I will be grateful." Take the time to say thanks for your
blessings. Yes this includes the tough times, the lessons. We are the total
of all our experiences. Stopping to give thanks is one of the most powerful
things anyone can do. It sends out such joyous energy to the universe that
we are all uplifted. A truly happy person feels thankful for everything and
often times they feel blessed. From the outside looking in, you may see
their hardships. Yet they are genuinely happy. Why? because they are
grateful.

"Just for today I will work hard on myself." Being responsible for all that
I am. Taking the time to understand myself fully. Taking time to meditate;
this is where understanding yourself is key. Meditation is not just sitting
quietly with your legs crossed reciting a mantra or concentrating on your
breathing. Meditation can be movement : dancing, hiking, washing the dishes
can be a meditation. Yard work, Tai Chi, yoga, doing a Reiki
self-treatment - meditation is only limited by your imagination. How do you
best meditate? Self-appraisal -- taking inventory is a must for any business
owner. How often should one look at oneself to see what needs to go and what
should stay? What would benefit from more attention? How can I be a better
listener, nurturer, light in this world? I will work hard on myself daily.
"I will be kind to everything that has life." This one truly tests our
resolve to live in a world of peace. When life is flowing smoothly it is
much easier to be kind than when we are experiencing a growth spurt. My
Reiki Master would get quiet and a bit withdrawn, not necessarily sad or
down, just quiet. After about the third time this happened I stopped asking
if something was wrong. Her answer was always: "My stuff is up." She would
draw her energy in as if she was in a constant state of reflection. Her
basic core of energy still exuded kindness, however. This was a great lesson
for me. Another important part to remember is that you have life. Being kind
to others is easy; yet how good are we at being kind to ourselves? We have
life too, and being kind to ourselves is of utmost importance. Today I will
be kind to all of life and this includes taking care of me.

These Reiki ideals, according to tradition, are to be spoken aloud and
allowed to resonate within your heart every morning and night. If someone
thinks something positive about you, you may feel the energy of it. When a
compliment is given the feeling and energy it creates makes such an
impression that it may very well last forever. Start and end each day by
declaring your code of existence to the universe with power and conviction,
letting it resonate within your heart. The Reiki Ideals!

domingo, março 18, 2007

Principles of Freedom

1: Life does not work through indecision. Indecision promotes blocks, confusion and stress. Make a decision and allow life to find movement through you. Trust yourself.

2: The 3 C's of life are Courage, Capacity and Commitment. It takes Courage and a commitment to make many of life's decisions, and capacity to follow them through. The 3 C's of a successful relationship are Caring, Consideration and Communication. Communication opens the door between us, consideration allows us to pass through it and our ability to care for each other unites us.

3: Truth is not truth out of timing- yet it remains truth. We are the timing to recognize truth.

4: The mind recoils from the unknown, so we seek to make everything known, and, thus sage. Imagination is the key to the unknown- positive, uplifting imagination.

5: For as long as we search for Our God Self, we deny that we are it. Loving your self reveals your truth.

6: Becoming free is not changing yourself into someone you think you should be. Becoming free is falling in love with who you are- right now.

7: Imagine a room of pitch dark and a room of bright light connected by a door. When you open the door what happens? Light floods into the dark room, illuminating it. Live accordingly, think thoughts of light.

8: F.E.A.R- False Evidence Appearing Real

9: Anything of the past that is unresolved is unresolved now. Living NOW resolves the past.

10: Life flows from the inside out, never the reverse. Understand this and you cease to be a victim.

11: Love responds- fear reacts. Love connects- fear separates. Love uplifts- fear deflates. Love creates- fear destroys.

12: There is no such thing as a mistake- only experience. There is no such thing as failure- only people's condemnation. There is no such thing as success- only people's approval. Let life live through you.

13: Do not get caught up in modifying your life, allow life to change YOU. Modification is a superficial exterior veneer, change is an inner shift in consciousness.

14: Pain is a measure of your resistance to change.

15: Decide whether you want to be an onlooker of life or a participant. This is the birthplace of choice.

16: You hear with your ears- but you listen with your mind. You look with your eyes- but you see from the heart.

17: Consciousness is not contained in your body- you are the consciousness that contains the body. Consciousness draws to itself form through which to express

18: Your mind cannot exist in the moment. You cannot think your way into the moment, you can only think your way out of it. This indicates that your mind/intellect cannot set you free. Only your consciousness is aware of NOW. True freedom is a state of consciousness.

19: We each live in our own universe, a universe of our making. It is designed to support our beliefs and our focus. Our thoughts are our focus, so observe your thoughts, focus on your blessings, and trust. This is how you become a participant.

20: Practise seeing all life around you as an aspect of yourself. In this way you shatter the illusion of separation.

21: Your mind does now know the difference between what you do want or what you don't want, it only knows what you focus on. Many people focus on what they don't have, what they are incapable of doing and their sicknesses.

22: If you focus on what you do have, it increases. If you focus on what you don't have, you will have even less. If you focus on your capabilities, they grow, if you focus on your health, it improves.

23: Your mind does not know the difference between a powerfully imagined reality and a physical happening reality. Why? Because there is no difference.

24: You only have a problem if you believe you have a problem.

25: Live these principles and you will be practising reality. Practise reality until you overcome the illusion. It is only an illusion that you are not free, now!

author unknown

segunda-feira, março 12, 2007

Oração Huna do perdão




Buscando eliminar todos os bloqueios que atrapalham minha evolução, dedicarei alguns minutos para perdoar.
A partir deste momento, eu perdoo todas as pessoas que de alguma forma me ofenderam, injuriaram, me prejudicaram ou me causaram dificuldades desnecessárias.
Perdoo, sinceramente, quem me rejeitou, me odiou, me abandonou, me traiu, me ridicularizou, me humilhou, me amedrontou, me iludiu.
Perdoo, especialmente, quem me provocou até que eu perdesse a paciência e reagisse violentamente, para depois me fazer sentir vergonha, remorso e culpa inadequada.
Reconheço que também fui responsável pelas agressões que recebi, pois várias vezes confiei em indivíduos negativos, permiti que me fizessem de bobo e descarregassem sobre mim seu mau carácter.
Por longos anos suportei maus tratos, humilhações, perdendo tempo e energia, na tentativa inútil de conseguir um bom relacionamento com essas criaturas.
Já estou livre da necessidade compulsiva de sofrer e livre da obrigação de conviver com indivíduos e ambientes tóxicos.
Iniciei agora, uma nova etapa de minha vida, em companhia de gente amiga, sadia e competente: queremos compartilhar sentimentos nobres, enquanto trabalhamos pelo progresso de todos nós.
Jamais voltarei a me queixar, falando sobre mágoas e pessoas negativas.
Se por acaso pensar nelas, lembrarei que já estão perdoadas e descartadas de minha vida íntima definitivamente. Agradeço pelas dificuldades que essas pessoas me causaram, pois isso me ajudou a evoluir, do nível humano comum ao nível espiritualizado em que estou agora.
Quando me lembrar das pessoas que me fizeram sofrer, procurarei valorizar suas boas qualidades e pedirei ao Criador que as perdoe também, evitando que elas sejam castigadas pela lei da causa e efeito, nesta vida ou em futuras.
Dou razão a todas as pessoas que rejeitaram o meu amor e minhas boas intenções, pois reconheço que é um direito que assiste a cada um me repelir, não me corresponder e me afastar de suas vidas.
Fazer uma pausa, respirar profundamente algumas vezes, para acúmulo de energia).
Agora, sinceramente, peço perdão a todas as pessoas, a quem, de alguma forma, consciente e inconscientemente, eu ofendi, injuriei, prejudiquei, ou desagradei.
Analisando e fazendo julgamento de tudo que realizei ao longo de toda a minha vida, vejo que o valor das minhas boas acções é suficiente para pagar todas as minhas dívidas e resgatar todas as minhas culpas, deixando um saldo positivo a meu favor.
Sinto-me em paz com minha consciência e, de cabeça erguida, respiro profundamente, prendo o ar e me concentro para enviar uma corrente de energia destinada ao Eu Superior.
Ao relaxar, minhas sensações revelam que este contacto foi estabelecido.
Agora dirijo uma mensagem de fé ao meu Eu Superior, pedindo orientação, protecção e ajuda, para a realização, em ritmo acelerado, de um projecto muito importante que estou mentalizando e para o qual já estou trabalhando com dedicação e amor.
Agradeço de todo o coração, a todas as pessoas que me ajudaram e comprometo-me a retribuir trabalhando para o bem do próximo, actuando como agente catalisador do entusiasmo, prosperidade e auto-realização.
Tudo farei em harmonia com as leis da natureza e com a permissão do nosso Criador, eterno, infinito, indescritível que eu, intuitivamente sinto como o único poder real, actuante dentro e fora de mim.


Assim seja, assim é e assim será.

O CAMINHO DO MENOR ESFORÇO

Em filosofia oriental, ensina-se que devemos seguir o caminho do menor
esforço. Infelizmente, este ainda é um conceito mal compreendido no
ocidente. Ingenuamente, alguns acreditam que o caminho do menor esforço é o
caminho da passividade, do recolhimento, da preguiça e estagnação.
Mas isto não é verdade. Preste atenção: caminho do menor esforço não é
caminho sem esforço, mas apenas do menor. Ou seja, mesmo quando as soluções
são árduas e complicadas, há uma que exigirá um esforço menor. Por mais
difíceis que sejam as possibilidades, existe uma não tão difícil. Por mais
complicada que seja uma tarefa, há sempre um modo menos desgastante de
realizá-la. Há sempre uma saída mais natural.
É uma situação básica da natureza. Por que o curso de um riacho é tortuoso?
É porque ele segue o caminho do menor esforço. Mas não seria mais fácil
correr em linha reta, uma trajetória mais curta? Ora, um trajeto mais curto
nem sempre é o de menor esforço. Você consegue imaginar quanta energia seria
necessária para que o riacho perfurasse uma rocha que se colocasse em seu
caminho? Seria um esforço exagerado atravessá-la. É mais simples dar a
volta, contornar o obstáculo. É um princípio da natureza: encontrar o
caminho mais natural, do menor esforço. Não evitar nem confrontar o
obstáculo, apenas superá-lo.
Mas infelizmente o ser humano está condicionado a valorizar apenas caminhos
complicados, soluções complexas e escolhas difíceis. Evita a solução mais
simples, o bom senso, a saída mais óbvia. Pressionado a ser criativo diante
de um universo de exigências, o indivíduo se esforça em demasia,
desesperadamente, em busca de saídas para seus problemas.
A busca por soluções é importante, mas não deve ser exercida de forma
exagerada, preocupando-se demasiadamente com resultados. Esforçar-se além
das possibilidades do momento é levar uma situação à exaustão, ao stress. O
sofrimento surge exatamente nestes momentos de stress, quando uma situação é
levada ao extremo. Se o indivíduo forçar uma situação além de suas
possibilidades, sofrerá. Se ele se forçar a ser mais do que realmente é,
chegará à exaustão.
É claro que um dia poderemos ser capazes de realizar algo que hoje ainda não
se apresenta possível. Afinal, somos seres humanos, crescemos, amadurecemos.
Mas não adianta exigir que uma criança sustente um peso de trinta quilos.
Isto seria forçar algo que ela ainda não é capaz. No futuro, quando adulta,
ela conseguirá. Mas agora ela não é capaz. Como dizia Jung, "Não é perfeição
mas totalidade o que se espera de você."
Busque então o caminho do menor esforço, seja você mesmo. Aproveite seus
potenciais mas respeite seus limites. Faça a sua parte mas descubra o
próprio ritmo. Encontre paz em tudo o que você fizer. Siga o caminho do
menor esforço, onde "você nada faz, mas nada deixa por fazer".
Publicado no "Estado de Minas", 15/01/2000
(Moacyr Castellani)

Your Teachers

Today, I wish for you to locate the teachers in your life. Let all criticism in your mind cease. Let all anger and blame in your heart be set aside. Today, look at each relationship in your life, and yes, most especially those difficult relationships, and see how you can use them as a means to self-growth.

One of the primary things that you will find is that you are holding back and keeping your opinions and feelings to yourself. You have developed a habit with certain people of avoiding them or of just pushing down what you want to say because you do not want to deal with the consequences, perhaps of tension and confrontation, perhaps of apparent risk to your job or marriage or other important relationship that you need to keep solid.

But there is no solidity and safety when the relationship is built on falsehood. And a lack of true integrity is a falsehood.

These people are your teachers. And even though you may choose at some time to move on to another job or another relationship, you will simply find the same lessons wherever you go unless you stop, now, and learn what you need to learn.

The lesson is most probably this: you need to find a way to work with certain types of people, to challenge them to change, perhaps, but first to change your own way of dealing with them, so that you are actively creating what you need to create together, not merely putting up with each other. There is a way to improve every relationship. There is a way to reach out to even the most difficult people, who are most unlike you.

So take on this challenge. Know that the path is through connection in love. Begin in your quiet time by reaching up into your higher self and then over to their higher self. And when there and connected, let love flow. Know that everyone, yes, everyone, is love at the highest level and that you can reach them in that way if you will allow yourself to do so. Let love flow between you. And when you are deeply connected, then ask: what do you desire? What do you fear? What would you most like from me? How can I best be of service to you? How can I help you feel more safe and secure?

And then write down the information that was given you, without editing, even if it seems surprising.

And then, when you next see this person, look through new eyes. See that the difficult personality stems from those fears and doubts you have just learned about. Sense the loving person underneath the façade of criticism and anger. Then take a deep breath, fill yourself with courage and change the way you relate. Experiment. Dare to forgive. Dare to reach out and be of service to this person in new ways, setting aside your own ego reaction and instead going for the heart of the matter, assuaging fears and doubts.

And then, gradually, do the most courageous thing of all. Find a way to balance your newfound respect for this other person and your respect for yourself, and speak with true integrity.

But know this: speaking in anger is not integrity; being critical is not integrity. Integrity is not your old childish reaction of hurt feelings. Integrity is when you reach down into your heart and center and find a quiet truth there, a truth that needs to be spoken. Then bring this truth out and up into your mind; realize that it should be spoken and conveyed in some way. Spend time considering this, knowing your truth and knowing also this person, with the deep understanding you have now gained. Give careful consideration to how to speak your truth while also being respectful and loving. And when you think you understand the best way to do this, then carry out your plan with courage and conviction and learn. Learn and grow though your courageous act of melding love for another with self-respect and integrity.

Learn to do this and you will find the world suddenly full of wonderful people. And then, you can look around and see what the next lesson is for your growth.

Here is a little prayer for today

I am surrounded by my teachers. Right now, in my life, exactly as it is, I have the opportunity to lift myself and the way I interact with others to a new level.

I reach up into my highest and most loving self and seek direction there, knowing that I am fully capable of understanding every person in my life, of understanding them with love and caring while keeping my own love for myself intact.

I am open to this experience. I welcome the knowledge and love that will flow to me as I reach this new level of being and loving. I have the power to do this, for I am love.

I am power. I am love. I am a deep understanding and connection with others. I am.