quinta-feira, junho 30, 2011

ALIMENTOS E EMOÇÕES

Banana - contra a ansiedade

Se você anda mais ansiosa que o normal, aposte na banana para elevar os níveis de serotonina. Quando os níveis desse neurotransmissor estão baixos, falha a comunicação entre as células cerebrais. Aí você fica irritada e especialmente ansiosa. A fruta combina doses importantes de triptofano e vitamina B6. Juntas, as duas substâncias se tornam poderosíssimas na produção da serotonina.

Quanto consumir: 2 unidades por dia

Mel - pura alegria

Triste sem motivo? De novo a causa pode ser a serotonina de menos. Nesse caso, o mel funciona como um calmante natural, pois aumenta a eficiência da serotonina no cérebro. Mas não é só aí que ele atua. Quando alcança o intestino, ajuda a regenerar a microflora intestinal. Resultado: o ambiente se torna mais propício para a produção de serotonina. Surpresa? Pois é, cerca de 90% do neurotransmissor do bom humor é produzido no intestino.

Quanto consumir: 1colher (sopa) / dia.

Abacate - amigo do sono

Dormir é tão importante para viver bem quanto comer direito e fazer exercícios. Tem noite que o sono não vem? Põe fé no abacate. Tudo bem, ele tem gordura, mas é boa. E oferece vitaminas que ajudam você a se entender melhor o travesseiro. A vitamina B3 equilibra os hormônios que regulam as substâncias químicas cerebrais responsáveis pelo sono. Já o ácido fólico funciona como se fosse uma enzima, alimentando os neurotransmissores que fazem você dormir bem.

Quanto consumir: ½ abacate pequeno, 3x / semana.

Salmão - levanta o astral

Mau humor constante pode ser sinal de falta de ômega 3 no prato. O representante oficial dessa gordura amiga é o salmão. Mas existem outros peixes (atum, aranque e sardinha) que jogam seu astral lá para cima. O ômega 3 melhora o ânimo porque aumenta os níveis de serotonina, dopamina e noradrenalina - substâncias responsáveis pela sensação de bem-estar. Estudos também comprovam que este ácido graxo tira os radicais livres de cena e assim protege o sistema nervoso central.

Quanto consumir: 1 porção, 3x / semana.

Lentilha - afasta o medo

Angústia e medo podem estar relacionados ao desequilíbrio de cálcio e magnésio. Essa dupla atua no balanceamento das sensações. Além de incluir alimentos com cálcio (queijo e iogurte) e magnésio (acelga) na dieta, consuma mais lentilha. Ela tem efeito ansiolítico, ou seja, tranqüiliza e conforta. Isso porque é precursora da gaba, neurotransmissor que também interfere nos sentimentos.

Quanto consumir: 3 conchas pequenas / semana.

Nozes - mantém você concentrada

São muitos os nutrientes das nozes. Mas é a vitamina B1 a responsável por essa fruta oleaginosa melhorar a concentração, pois a B1 imita a acetilcolina, neurotransmissor envolvido em funções cerebrais relacionadas à memória.

Quanto consumir: 2 nozes, 4x / semana.

Chá verde - espanta o estresse

Essa erva, a Camellia sinensis, tem fitoquímicos (polifenóis e catequinas) capazes de neutralizar as substâncias oxidantes presentes no organismo que, em excesso, deixam você cansada e estressada e acabam desorganizando o funcionamento do organismo. O estresse é capaz de desencadear a síndrome metabólica, culpada por doenças como a obesidade e a depressão. Beber chá verde, conforme alguns estudos, melhora a digestão e deixa a mente lenta.

Quanto consumir: 4 a 6 xícaras (chá) / dia.

Brócolis - deixa a mente esperta

É comum você demorar alguns segundos para lembrar o número do seu telefone? Este alimento é rico em ácido fólico, acelera o processamento de informação nas células do cérebro, conseqüentemente, melhorando a memória. Porções extras desta verdura vão fazer você lembrar de tudo rapidinho.

Quanto consumir: 1 pires / dia.

Óleo de linhaça - dribla o apetite voraz

O óleo extraído da semente de linhaça e prensado à frio é uma fonte vegetal riquíssima em gordura ômega 3, 6 e 9. Melhor: é um dos poucos alimentos com ômega numa proporção próxima do ideal, o que é imprescindível para que exerça suas funções benéficas. Uma delas é regular os hormônios que ajudam a manter o sistema nervoso saudável. Com isso, a ansiedade perde espaço e a cumpulsão a comida fica bem menor.

Quanto consumir: 1colher (sobremesa) / dia, antes das refeições principais.

Gérmen de trigo - acaba com a irritação

Assim como as nozes, o gérmen de trigo tem vitamina B1 e inositol, que reforçam a concentração. Mas por ter uma boa dose de vitamina B5, o gérmen é especialmente indicado como calmante, já que melhora a qualidade de impulsos nervosos, evitando nervosismo e irritabilidade.

Quanto consumir: 2 colheres (chá) / dia.

Tofu - espanta o desânimo

O queijo de soja tem o dobro de proteínas do feijão e uma boa dose de cálcio. Também é rico em magnésio (evita o enfraquecimento das enzimas que participam de produção de energia) e ferro (combate a anemia). Quando estes minerais estão em baixa no organismo, você se sente fraca e sem ânimo. Mas é a colina, substância que protege a membrana das células cerebrais, que dá ao tofu o poder de acabar com o cansaço mental.

Quanto consumir: 1 fatia média / dia.

Dr. Luiz Carvalho - Nutrólogo e Nutricionista

Nut. Gabriela Zanatta Port - Nutricionista

quarta-feira, junho 29, 2011

Encerrando ciclos

Encerrando ciclos

(Fernando Pessoa)



Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...

Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.



Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.



Foi despedida do trabalho?

Terminou uma relação?

Deixou a casa dos pais?

Partiu para viver em outro país?

A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?



Você pode passar muito tempo se perguntando

por que isso aconteceu.



Pode dizer para si que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó.



Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.



O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.



As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora.



Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.



Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração..

.... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.



Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.

Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.



Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor.



Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.



Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".



Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará.

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa, nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.



Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.



Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.

Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.



Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu própria, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és..



E lembra-te :

“Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão”

(Fernando Pessoa)

sábado, junho 25, 2011

FASE

Não deixes passar esta fase. Não fiques à espera que ela passe. Não fiques
à espera que, com ela, passe todo este desconforto e tristeza. Cada fase que
vivemos na vida é para ser aproveitada, para ser sentida, para ser integrada.

Integra todos estes acontecimentos na tua energia. Abre a tua estrutura ener-
gética para que caibam todas as coisas que te acontecem. Para que elas me-
xam contigo, para que elas te mudem.

Esta fase é a melhor fase para a tua alma. Ela gosta de mudança, gosta de
rearmonização. Deixa que esta fase te mude, te rearmonize. Ela traz consigo
o ser que estás para ser, se conseguires senti-la e trabalhar com ela. Não des-
prezes o poder desta fase. Não te demitas da evolução que ela promove.

E quando tudo tiver passado, quando tiveres cruzado esses mares revoltos,vais
por fim encontrar o mundo novo, e vais perceber que eu afinal tinha razão.

O LIVRO DA LUZ – Pergunte, O Céu Responde,
de Alexandra Solnado

terça-feira, junho 14, 2011

CONSELHO

Um sinal para ti: Tenta ser alguém de quem a tua essência se orgulharia. Tenta ser o que ela gostaria que tu fosses. A tua essência é o mais íntimo de ti, a energia mais pura a que possas aceder. Quando és algo de que ela se orgulha, é sinal de que já acedeste. Que sabes quem ela é e a respeitas. E queres ser como ela porque aceitas essa energia como única e indeformável.

Quando tentas ser quem não és, ela fica triste, abatida e tímida. Quanto te aceitas e perdoas, ela fica livre, poderosa e cristalina. Vive mais tempo e pode cumprir mais missões na terra. Tu vives feliz, porque sabes quem és e podes – e sabes – lidar com isso. E eu, cá de cima, vejo brilhar mais uma estrela, que é a junção da mente, a alta frequência da aceitação, com a luz, a alta frequência da essência.

Tenta viver do modo que a tua essência gosta. Ela viverá mais anos e será mais feliz. E o ego, essa voz na cabeça que diz para não arriscares, não avançares, que diz que não és capaz, que não vale a pena, essa energia de auto-restrição, rejeita-o pura e simplesmente e envia-o cá para cima. Nós trataremos dele.

O LIVRO DA LUZ – Pergunte, O Céu Responde,
de Alexandra Solnado

quinta-feira, junho 09, 2011

la différence entre la MAÎTRISE et le CONTRÔLE

Savez-vous...
...quelle est la différence entre la MAÎTRISE et le CONTRÔLE? Il est important de le savoir, sinon vous contrôlez peut-être beaucoup votre vie en croyant que c’est la façon d’en être le maître.
Cet article ne concerne pas la maîtrise au plan physique (comme être maître d’un métier quelconque) mais plutôt de l’attitude qui influence votre comportement.
Être maître de soi signifie être maître de ses actions, de ses réactions et de ses décisions. Une personne qui est maître d’elle-même se révèle d’un naturel calme et sait conserver son sang-froid, même dans les situations embarrassantes. Lorsqu’une situation ne va pas à son goût, elle est capable de ne pas dramatiser et peut même en rire. Elle prend sa responsabilité et laisse les autres prendre la leur.
Ce n’est pas du tout la même attitude qu’une personne qui se contrôle. Le contrôle indique une retenue de soi ou de quelqu’un d’autre; c’est vouloir que les choses aillent comme on veut et avoir des attentes. Ce genre de personne est motivé par la peur, tandis que celle maître d’elle-même demeure centrée.
Prenons l’exemple d’un père qui ne peut plus tolérer que son adolescent passe tous ses moments libres devant l’ordinateur. Comme il est sportif, il est convaincu que son fils devrait sortir davantage de la maison et s’intéresser aux sports. Il se ferait ainsi de bons amis.
Le père contrôlant va imposer à son fils un nombre limite d’heures qu’il peut passer devant l’ordinateur, va le surveiller et va même jusqu’à l’inscrire à un sport. Vous pensez peut-être qu’il a raison d’agir ainsi, que ce n’est pas bon pour un jeune homme de passer tout son temps devant un ordinateur. L’intention de ce père est bonne. Par contre, il n’est pas conscient qu’il est motivé par la peur. Il va certainement dire qu’il a peur pour son fils, qu’il pense à sa santé physique et mentale. Ce que la personne contrôlante ne sait pas, c’est que la réalité est tout autre. Quand nous avons peur pour une autre personne, la vérité est que nous avons plutôt peur pour nous-même.
Si ce père maîtrisait la situation, au lieu d’imposer sa volonté à son fils, il prendrait sa responsabilité en se demandant de quoi il a peur pour lui-même si son fils continue ainsi encore longtemps. Sa réponse pourrait être qu’il a peur que ses amis et sa famille le jugent de mauvais père (comme il a jugé son propre père de l’être), que ce sera sa faute si son fils n’est pas heureux ou ne réussit pas dans la vie.
Après cette prise de conscience, il pourrait partager sa peur avec son fils et lui dire ce qu’il souhaite pour lui, mais que la décision lui appartient. Il peut offrir à son fils de l’aider si ce dernier le veut. Il devra ensuite accepter le choix de son fils en sachant que ce dernier sera le seul à assumer les conséquences de sa décision.
Notre ego nous joue bien des tours. Il veut nous faire croire que lorsque nous cherchons à nous contrôler ou à contrôler une autre personne, nous sommes maîtres d’une situation, alors que c’est tout à fait l’opposé. On peut croire aussi que nous prenons ainsi notre place, que nous nous affirmons. Aussitôt que vous êtes influencé par une peur, sachez que ce n’est plus de la maîtrise. Vous vous faites plutôt contrôler par votre peur.
C’est la même chose quand vous vous contrôlez. Si vous êtes au régime par exemple, vous vous privez de certaines choses par peur de grossir. Vous n’êtes donc pas maître de votre vie. Combien de fois ai-je entendu des femmes me dire à quel point elles sont fières d’être maître de leur vie, puisqu’elles arrivent à suivre leur régime alors que leur conjoint en est incapable par manque de volonté.
La personne qui veut mincir et qui est maître d’elle-même fait ses choix en fonction de ce qu’elle préfère, comme choisir des aliments qu’elle aime et qui sont bons pour elle, faire des exercices physiques qui lui plaisent, etc. Les fois où il lui est difficile de suivre son plan, elle ne se tape pas sur la tête : elle est tout simplement consciente que, ce jour-là, elle n’a pas écouté son vrai besoin, que demain est un autre jour et qu’elle arrivera à atteindre son but en respectant son propre rythme. Elle ne vit pas d’émotions telles que la culpabilité et la peur à cause de ça.
Voilà pourquoi on peut dire qu’être maître de sa vie, c’est demeurer centré. Cette personne reste centrée sur ce qu’elle veut, sur son besoin tout en se donnant le temps d’y arriver. Même si elle ne prend pas le chemin tracé au départ, la vie continue quand même.
Avec amour,
Lise Bourbeau
Fonte:

terça-feira, junho 07, 2011

Os verdadeiros benefícios da Banana

Banana

Depois de ler isto, nunca mais vai olhar para uma banana da mesma maneira.

Contendo três açúcares naturais: sacarose, frutose e glucose,
combinados com fibras, a banana dá-lhe uma reserva instantânea de
energia.

Pesquisas provam que somente 2 bananas dar-lhe-ão energia para 90
minutos de trabalho pesado. Não admira a banana ser o fruto mais
consumido entre os atletas.
Mas energia não é o único benefício que a banana nos traz, ela
ajuda-nos a prevenir um substancial número de doenças.

Depressão:
De acordo com recentes estudos, a maioria das pessoas que
habitualmente sofrem com depressões sentiram-se substancialmente
melhor depois de comerem uma banana. Isto acontece porque a banana
contém um tipo de proteína que o corpo converte em
serotonina,substância que se sabe que ajuda a relaxar e te faz sentir
melhor.

Anemia:
Fortes em ferro, as bananas estimulam a produção de hemoglobinas e
ajudam em caso de anemia.

Pressão Arterial:
Este fruto tropical é muito rico em potássio e pobre em sal sendo
perfeito para descer a pressão arterial. A Food and Drug
Administration, nos Estados Unidos até permitiu aos produtores de
bananas usarem isso como publicidade.

Cérebro:
200 estudantes comeram uma banana ao pequeno-almoço, ao almoço e ao
lanche e provou-se que o potássio presente no fruto ajudou-os a
melhorar a sua concentração.

Obstipação:
Rica em fibras, a inclusão de bananas nas dietas ajuda a normalizar o
trânsito intestinal, permitindo debelar os problemas sem o uso de
laxantes.

Dor de Cabeça:
Uma das maneiras mais rápidas de curar uma dor de cabeça é fazer um
batido de banana com mel. A banana acalma o estômago e com a ajuda do
mel aumenta os níveis de açúcar no sangue enquanto o leite acalma e
hidrata todo o teu sistema.

Cansaço Matinal:
Comer uma banana entre as refeições ajuda a manter os níveis de açúcar
no sangue elevados, combatendo o cansaço.

Picadas de Insectos:
Quando fores picado por um insecto, experimenta esfregar a zona
afectada com a parte de dentro de uma casca de banana. Verás como a
irritação vai acalmar.

Nervos:
Bananas são ricas em vitamina B, que acalmam o sistema nervoso.
Pesquisas em 5.000 pacientes, chegaram à conclusão que os mais obesos
são aqueles que têm trabalhos de muita pressão. O relatório concluiu
que para combater isto, devemos controlar os nossos níveis de açúcar
no sangue devendo consumir comida com muitos hidratos de carbono, como
a banana.

Úlceras:
A banana é usada nas dietas contra as desordens intestinais pela sua
textura suave e por causa de ser um fruto muito macio. É o único fruto
que pode ser comido sem causar distúrbios mesmo nos casos mais graves.
Ela também neutraliza a acidez excessiva e reduz a irritabilidade
criando uma camada nas paredes do estômago.

Controlo de temperatura:
Muitas culturas vêm a banana como um fruto 'calmante' porque consegue
baixar a temperatura, quer física quer emocional, nas mulheres
grávidas.
Na Tailândia, por exemplo, é hábito as mulheres grávidas comerem
bananas para se assegurarem de que o seu filho nasce com a temperatura
correcta.

Fumar:
As bananas podem ajudar quem quer deixar de fumar. As vitaminas B6 e
B12, o potássio e o magnésio que contêm, ajudam o corpo a recuperar
dos efeitos da falta de nicotina.

Stress:
O potássio é um mineral vital que ajuda a normalizar o batimento
cardíaco, que auxilia a ida do oxigénio para o cérebro e que regula a
repartição de água pelo corpo. Quando estamos 'stressados' o nosso
metabolismo altera-se reduzindo os níveis de potássio. Podemos
ajustá-los com a ajuda deste fruto, rico em potássio.

Cortes:
De acordo com o 'New England Journal of Medicine', comer bananas
regularmente pode reduzir o risco de morte por cortes até mais de 40%!

Assim, a banana é um remédio natural para muitos males.

Acrescentado só uma coisinha, a banana ajuda a ajustar o organismo no
chamado 'jet leg'. Para quem viaja de um continente para outro com
muitas horas de diferença do fuso horário, comendo bananas, devido as
propriedades do potássio, o organismo consegue ajustar mais depressa
ao novo horário.

Comparando-a com a maçã, tem o quádruplo das proteínas, o dobro dos
hidratos de carbono, três vezes mais fósforo, cinco vezes mais
vitamina A e ferro e o dobro das outras vitaminas e minerais.
É um fruto rico em potássio e uma das mais saudáveis comidas existentes.


Fonte Desconhecida

domingo, junho 05, 2011

ATITUDES QUE DRENAM ENERGIAS

1. Pensamentos obsessivos - Pensar gasta energia, e todos nós sabemos

disso. Ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de

trabalho físico. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos - mal comum ao

homem ocidental, torna-se escravo da mente e acaba gastando a energia que

poderia ser convertida em atitudes concretas, além de alimentar ainda mais

os conflitos.


Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção

à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar

as energias, enquanto o pessimismo consome energia e atrai mais negatividade

para nossas vidas.


2. Sentimentos tóxicos - Choques emocionais e raiva intensa também esgotam

as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos

seguidos.


Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas.


Isso acontece quando a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a

felicidade é gasta na manutenção de sentimentos negativos.


Medo e culpa também gastam energia, e a ansiedade descompassa a vida. Por

outro lado, os sentimentos positivos, como a amizade, o amor, a confiança, o

desprendimento, a solidariedade, a auto-estima, a alegria e o bom-humor

recarregam as energia e dão força para empreender nossos projetos e superar

os obstáculos.


3. Maus hábitos, falta de cuidado com o corpo - Descanso, boa alimentação,

hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer são sempre colocados em

segundo plano.


A rotina corrida e a competitividade fazem com que haja negligência em

relação a aspectos básicos para a manutenção da saúde energética.


4. Fugir do presente - As energias são colocadas onde a atenção é focada. O

homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis:

"bons tempos aqueles!", costumam dizer.


Tanto os saudosistas, que se apegam às lembranças do passado, quanto aqueles

que não conseguem esquecer os traumas, colocam suas energias no passado.


Por outro lado, os sonhadores ou as pessoas que vivem esperando pelo futuro,

depositando nele sua felicidade e realização, deixam pouca ou nenhuma

energia no presente.


E é apenas no presente que podemos construir nossas vidas.


5. Falta de perdão - Perdoar significa soltar ressentimentos, mágoas e

culpas. Libertar o que aconteceu e olhar para frente.


Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos, gastando menos

energia ao alimentar as feridas do passado.


Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele

que busca viver bem e quer seus caminhos livres, abertos para a felicidade.


Quem não sabe perdoar os outros e si mesmo, fica "energeticamente obeso",

carregando fardos passados.


6. Mentira pessoal - Todos mentem ao longo da vida, mas para sustentar as

mentiras muita energia é gasta.


Somos educados para desempenhar papéis e não para sermos nós mesmos: a

mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai

enérgico, o mártir e o intelectual.


Quando somos nós mesmos, a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo

esforço.


7. Viver a vida do outro - Ninguém vive só e, por meio dos relacionamentos

interpessoais, evoluímos e nos realizamos, mas é preciso ter noção de

limites e saber amadurecer também nossa individualidade.


Esse equilíbrio nos resguarda energeticamente e nos recarrega.


Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do

que é recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria

vida.


O único prêmio, nesse caso, é a frustração.


8. Bagunça e projetos inacabados - A bagunça afeta muito as pessoas,

causando confusão mental e emocional. Um truque legal quando a vida anda

confusa é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa e os documentos,

além de fazer uma faxina no que está sujo.


À medida em que ordenamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem

nossa mente e coração. Pode não resolver o problema, mas dá alívio.


Não terminar as tarefas é outro "escape" de energia.


Todas as vezes que você vê, por exemplo, aquele trabalho que não concluiu,

ele lhe "diz" inconscientemente: "você não me terminou!


Você não me terminou!" Isso gasta uma energia tremenda. Ou você a termina ou

livre-se dela e assuma que não vai concluir o trabalho.


O importante é tomar uma atitude. O desenvolvimento do auto-conhecimento, da

disciplina e da terminação farão com que você não invista em projetos que

não serão concluídos e que apenas consumirão seu tempo e energia.


9. Afastamento da natureza - A natureza, nossa maior fonte de alimento

energético, também nos limpa das energias estáticas e desarmonizas.


O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e

desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energia.


A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam

esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são

sugados em suas energias vitais.*