domingo, fevereiro 17, 2013

DESTINO: EU!



O teu destino é uma criação tua e esta é uma profunda convicção minha. Quantas vezes já ouviste expressões do género, “estou destinada a não ser feliz”, "estou destinado a não encontrar a mulher da minha vida”, estou destinada a não fazer nada do que gosto” ou “ estou destinado a não ter nada daquilo que quero”? Estas pessoas estão destinadas, sim, à invalidez emocional e às catacumbas de uma vida dos infernos, mas nada tem a ver com o destino que lhes foi traçado, tem, sim, explicação no seu padrão de pensamento e na carência de crédito que têm nelas mesmas. O que elas estão a criar é a total ausência de felicidade e, dessa forma, não poderão ter outro fim senão, um destino repleto de sombras, medos e amarguras. Nada, nem Deus nem o destino, é responsável pela autoria do que escreves diariamente no teu muro de lamentações. Essa é uma obra tua, exclusivamente tua, e enquanto não assumires essa responsabilidade e cobrares às instâncias que te falei, tudo o que não és, não fazes e não tens, não verás luz, nem merecerás o paraíso que é ter uma vida consciente.
A ti foi-te entregue por Deus um prémio, uma vida para viver, uma oportunidade única que te permite usufruir das melhores coisas que a Terra tem mas que, também, te oferece a hipótese de crescer, aprender, dar e evoluir enquanto alma e ser humano. Posto isto, farás escolhas através da experiência e diferentes escolhas levar-te-ão a diferentes lugares com diferentes pessoas. Nada do que possas escolher é errado, mas todas as tuas decisões terão bons frutos e consequências pelo caminho. Viverás, então, o que escolheste e para teu bem é bom que o tenhas feito por ti e por mais ninguém. Aprenderás a assumir a importância do que é bom e do que é mau para ti, mas crescerás com ambas as lições, assim dês ao que acabaste de viver o significado correcto. O teu destino será sempre o teu sonho e quando lá chegares, pára, bebe pausadamente os segundos, as horas, os dias seguintes, e quando estiveres saciado, espeta uma bandeira no cume do teu percurso para que nunca te esqueças do que viveste, aprendeste, deste e recebeste. Depois, transfere a confiança, a estima e o amor próprio que ganhaste para a tua nova meta, constrói outra pirâmide e encontra-te, novamente, com o teu destino. Sim, é assim que interpreto a palavra “destino”, não como um “fado”, mas como um ponto de chegada. Um ponto de chegada que te foi eliminado da cabeça quando nasceste, mas que, por mérito, entrega e perseverança, foste capaz de encontrar. Se te identificares com este “Destino”, estarás, sempre, destinado a viver grandes sonhos, a ser feliz e a cumprir, exemplarmente, com a tua missão.
Só podes comandar o teu destino quando fores o comandante da tua vida.

Fonte: http://gustavosantosescritor.blogspot.pt/2013/01/destino-eu.html

1 comentário:

Aglair disse...

Adorei o texto...maravilhoso...obrigada bjs...
Aglair